quarta-feira, 27 de abril de 2011

RJ - Cultivo Piloto de Kappaphycus em Paraty: 1ª colheita!


CULTIVO PILOTO DA MACROALGA Kappaphycus alvarezii PARA PROPORCIONAR ALTERNATIVA ECONÔMICA A POPULAÇÕES TRADICIONAIS DE PARATY (RJ).


Por: Mauricio Roque da Mata (texto e fotos)
E-mail: mrdamata@gmail.com

Temos o prazer de anunciar a 1º colheita dos produtores capacitados da Associação dos Produtores de Macroalgas de Paraty - APMP, criada através do referido projeto, com um montante de 32 toneladas de macroalgas frescas, frutos desta feliz parceria entre a Universidade Federal Fluminense - PPGBM / UFF, Ministério da Pesca e Aquicultura - MPA e Conselho Nacional de Pesquisa - CNPq.


O referido trabalho esta sendo bastante positivo, pois através do mesmo, conseguimos a inclusão social e geração de renda de familias de comunidades na Enseada da Cajaíba, Ilha do Araújo e Paraty - Mirim na Ilha da Cutia, todas envolvidas com os cultivos de macroalgas.

Foram capacitadas pessoas através de palestras, oficinas de trabalho na fase terra, pedidos de concessão das áreas da união para fins de aquicultura, na fase mar: fixação das balsas, plantio, manejo e colheita.





Paralelamente foi realizado o monitoramento ambiental de comunidades marinhas associadas, dispersão no ambiente e crescimento da biomassa algal, correlacionada a parâmetros abióticos como suporte a pesquisa.

A atividade dos cultivos foi muito bem recebida pelas comunidades tradicionais da região, inclusive podendo ser desenvolvidos com cultivos consorciados (peixes, camarões, vieiras e mexilhões).

Os produtores estão vendendo toda a produção para uma empresa local em Itaguaí a R$ 0,30 / kg alga fresca, com a aquisição de estufas e outros, os mesmos poderão secar esta biomassa e vender com valor agregado de R$ 3,00 / kg alga seca, podendo inclusive conseguir melhores preços, uma vez que a biomassa seca pode ser guardada por maiores períodos.





Para melhorar a infra estrutura da Associação dos Produtores de Macroalgas de Paraty - APMP, bem como incentivar a entrada de novos grupos e manter o monitoramento ambiental da macroalga Kappaphycus alvarezii, a UFF através do Instituto de Biologia Marinha, está procurando renovar o referido projeto através de novas parcerias para 2012 e desta forma apoiar o potencial natural para a aquicultura do Estado do Rio de Janeiro.

2 comentários:

  1. Poxa, trabalho massa...
    Num é que esse Mauvrício virou um extensionista arretado mesmo. Isso deve ter iniciado lá com o Mestre françêz Xavier, no Depto de Pesca na Rural de Pernambuco.
    Aproveito para enviar um link do Projeto semelhante que estamos realizando aqui no nosso Litoral.
    http://pe360graus.globo.com/videos/cidades/meio-ambiente/2011/04/30/VID,21628,4,77,VIDEOS,879-CONHECA-PRIMEIRA-FAZENDA-MARINHA-CRIACAO-BEIJUPIRAS-PAIS.aspx

    Que Deus abençoe a extensão aquícola e pesqueira do Brasil.

    Abraço,

    Gilvan Lira
    Instituto Agronômico de Pernambuco IPA

    ResponderExcluir
  2. Bacana Gilvan!

    Tenho divulgado o belo trabalho de vocês aqui!

    Sucesso!

    abs!
    MD

    ResponderExcluir

As postagens mais populares da última semana: